Sexta-feira, 08 de Maio de 2009

Quando passo em redor o meu olhar

e os meus olhos se prendem nos teus, tão sofridos.
Que embora sorriam e brilhem, tão belos, tão expressivos.
Ora se movem, ora se ocultam para não chorar.
Interrogo-me, fremente de raiva, qual a razão,
se existe um deus (e eu acho que não),
para que a vida seja sentida,
tenha que ser assim, amarga, sofrida?
 
 

 



publicado por Donagata às 23:20
O diário do meu alter-ego. O irreverente, desbocado, mal disposto e insensato alter-ego. Mas também o sensível, o emotivo, o lamechas, aquele que tenta dizer coisas de forma bonita... Assim num pobre arremedo poético.
mais sobre mim
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

15

23

24
26
27
29
30

31


arquivos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO