Terça-feira, 12 de Maio de 2009

 
Estou a olhá-la da janela
à Carlota, linda gata!
Estica-se, lambe a pata,
cerra os olhos com preguiça,
arqueia o dorso, roliça,
e solta uma miadela.
É a minha musa, a gatinha,
companheira de alguns anos,
adoptou-me, é muito minha
e as duas, como em sonhos,
percorremos oceanos,
ora alegres, ora medonhos,
à procura de uma rima,
daquela palavra que anima
o poema incompleto.
Quando, por fim, aparece
é vê-la compenetrada,
olha para mim, aquiesce,
e adormece encantada.
Rola pra cá e pra lá,
a barriga oferece à brisa
neste bailado, indecisa
que não é bem próprio dela.
Joaquina é também seu nome,
e só isso diz já tudo,
é decidida a bichana
age como uma soberana.

Olho-a,  parece um veludo,

uma doçura, um encanto,
uma ternura e, no entanto
se algum gato abelhudo
pensar só em a perturbar...
basta apenas um olhar,
uma frincha de esmeralda,
qual ameaça velada,
para afastar o infeliz.
É que a minha Carlota
É aspirante a imperatriz.
 
Donagata


sinto-me: para a minha gatinha

publicado por Donagata às 19:56
O diário do meu alter-ego. O irreverente, desbocado, mal disposto e insensato alter-ego. Mas também o sensível, o emotivo, o lamechas, aquele que tenta dizer coisas de forma bonita... Assim num pobre arremedo poético.
mais sobre mim
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

15

23

24
26
27
29
30

31


arquivos
pesquisar neste blog
 
Copyrights
Creative Commons License
O Bar da Praia by Donagata (Celeste Pereira) is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a Obras Derivadas 2.5 Portugal License.
Based on a work at donagataempontodecruz.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at livroseopinioes.blogspo.com.
Copyright
MyFreeCopyright.com Registered & Protected
blogs SAPO