Domingo, 10 de Maio de 2009

 

Triste dia este em que te vi procurar todas as suas coisas para lhas dar.

Triste dia em que essas coisas, que displicentemente, se iam encostando por aqui,

considerando esta casa já um pouco sua, tiveram que dela sair, que a deixar.

Triste dia este em que te vejo procurar e arrumar, tão absorta como nunca vi,

livros, discos, e sei lá que mais, com os gestos maquinais de quem está a sonhar.

Detens-te, por vezes. Estranhas o que tens na mão, não compreendes.

 Até que acordas, paras, olhas sem ver e deixas as lágrimas rolar.

Hoje perdeste a frescura do rosto só possível para os que não sabem,

para os que nunca sentiram a dor de acordar de um sonho de amor.

 

Donagata

 



publicado por Donagata às 01:01
O diário do meu alter-ego. O irreverente, desbocado, mal disposto e insensato alter-ego. Mas também o sensível, o emotivo, o lamechas, aquele que tenta dizer coisas de forma bonita... Assim num pobre arremedo poético.
mais sobre mim
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

15

23

24
26
27
29
30

31


arquivos
pesquisar neste blog
 
Copyrights
Creative Commons License
O Bar da Praia by Donagata (Celeste Pereira) is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a Obras Derivadas 2.5 Portugal License.
Based on a work at donagataempontodecruz.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at livroseopinioes.blogspo.com.
Copyright
MyFreeCopyright.com Registered & Protected
blogs SAPO