Quinta-feira, 07 de Maio de 2009

Parada,
em frente desse mar infindo,
desato o pensamento.
Deixo-o soltar-se, fluindo,
primeiro ronceiro, hesitante
um pouco a medo, vai lento!
Depois ganha asas sai veloz,

 irresponsável, imprudente,

invasivo, sem recatos,
sem peias que o amarrem.
Quero segurá-lo, norteá-lo,
dirigi-lo, dominá-lo…
Mas ora me falta o alento,
ora escasseia o desejo
e deixo-me,
tal como o vento,
voltear em alvoroço,
roçar o torpe e o recato,
a quietude e o desacato
e esquecer-me de mim.
 

 



publicado por Donagata às 17:10
O diário do meu alter-ego. O irreverente, desbocado, mal disposto e insensato alter-ego. Mas também o sensível, o emotivo, o lamechas, aquele que tenta dizer coisas de forma bonita... Assim num pobre arremedo poético.
mais sobre mim
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

15

23

24
26
27
29
30

31


arquivos
pesquisar neste blog
 
Copyrights
Creative Commons License
O Bar da Praia by Donagata (Celeste Pereira) is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a Obras Derivadas 2.5 Portugal License.
Based on a work at donagataempontodecruz.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at livroseopinioes.blogspo.com.
Copyright
MyFreeCopyright.com Registered & Protected
blogs SAPO