Terça-feira, 30 de Junho de 2009

Fiona
 
Pouso, ansiosa, as mãos no teu pelo macio,
que já não é.
Nesse pelo de belos reflexos de prata,
que já não tem.
Que soltava uma tepidez doce e boa,
que já não sinto.
Enfio os dedos nesse teu manto sedoso,
que já não é,
à espera de te ouvir ronronar com premência,
como já não fazes.
E sinto apenas frio.
Viro-te e procuro encontrar o teu olhar.
Estás fria.
O teu olhar está velado e fixo.
Os meus dedos apenas sentem aspereza
e tu, já não és tu.
És apenas a carcaça ainda reconhecível,
ainda bela,
daquela que foi a minha companheira doce de onze anos, 
e já não é.
Deixaste-me desprevenida.
Foste rápida e determinada!
Agora, só não sei como tapar este buraco
fundo, negro, frio,
que sinto cá dentro,
sem te sentir.

 

Donagata em 2009-06-30


sinto-me:

publicado por Donagata às 20:11
O diário do meu alter-ego. O irreverente, desbocado, mal disposto e insensato alter-ego. Mas também o sensível, o emotivo, o lamechas, aquele que tenta dizer coisas de forma bonita... Assim num pobre arremedo poético.
mais sobre mim
Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
15
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29


arquivos
pesquisar neste blog
 
Copyrights
Creative Commons License
O Bar da Praia by Donagata (Celeste Pereira) is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a Obras Derivadas 2.5 Portugal License.
Based on a work at donagataempontodecruz.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at livroseopinioes.blogspo.com.
Copyright
MyFreeCopyright.com Registered & Protected
blogs SAPO